portal seguro e saúde

Dúvidas sobre dispositivos médicos implantáveis devem ser esclarecidas antes da cirurgia

Em:21/02/18 Por:barela

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que existam mais de oito mil dispositivos ou tecidos médicos que podem ser inseridos no corpo ou sob a pele. O objetivo desses implantes ou próteses é substituir alguma parte do corpo. O material varia muito e pode ser elaborado a partir de outros tecidos do corpo como pele, osso, além de metal, plástico ou cerâmica. As aplicações são variadas e podem ser usadas para liberar medicação, monitorar funções corporais, e oferecer suporte a órgãos e tecidos.

A realidade é que a maioria das pessoas já ouviu falar de algum desses dispositivos, sendo os mais populares conhecidos como stents, marca-passos, cardiodesfibriladores, próteses e órteses, placas e parafusos. Implantes podem ser permanentes ou removíveis, quando deixarem de ser necessários. Por exemplo: stents ou implantes de quadril tendem a ser permanentes, mas acessos para quimioterapia ou pinos para reparação de ossos quebrados são removidos após o tratamento. De acordo com especialistas, os riscos associados à inserção de DMI’s incluem riscos cirúrgicos durante a inserção ou retirada, de infecção do local e de falha do implante. Algumas pessoas podem desenvolver reações aos materiais do dispositivo.

Em caso de viagens, sempre leve com você os documentos médicos de comprovação da sua condição e os medicamentos em uso. Se a viagem envolver transporte aéreo, verifique com seu médico se é seguro passar pelo detector de metais do aeroporto. O paciente que tem com algum tipo de DMI precisa avisar a companhia aérea para receber a orientação adequada durante o embarque, o voo e o desembarque. Quando passar pela segurança do aeroporto dê preferência à fila destinada a pessoas com necessidades especiais. As equipes estão treinadas para atender de modo adequado pessoas com dispositivos médicos implantáveis.

Tenha certeza de ter com você o número de Identificação de Paciente com Dispositivo Implantável (ID). Isso confirma que você é portador de um dispositivo e fornece informações relevantes sobre seu DMI. Peça ao seu médico para lhe fornecer o último documento disponível sobre o seu dispositivo. Pela regulamentação da Anvisa é obrigatória a etiqueta nacionalizada (a etiqueta em português) e, se possível, obtenha a versão desse documento na língua do(s) país (es) de destino – francês, alemão, espanhol, italiano, chinês, etc.

Embora sejam popularmente conhecidos, não são todas as pessoas que conhecem o seu direito de opinar juntamente com o médico no momento de decidir sobre a implantação do dispositivo. A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) reforça a importância de os pacientes exercitarem seu direito a informação sobre uso, segurança e qualidade de dispositivos médicos implantáveis (DMIs). Se você está avaliando a necessidade de colocar um implante, fique atento às perguntas que você pode fazer ao seu médico:

  • O implante será permanente ou removível?
  • Caso seja permanente, qual o seu prazo de validade?
  • Se removível, quanto tempo permanecerá implantado e o que determinará sua retirada?
  • De que material é feito o implante? Quais as reações conhecidas ao material do implante? Garanta com o médico que você não é alérgico a qualquer dos componentes do material.
  • Quais as complicações possíveis decorrentes da cirurgia para implante do dispositivo?
  • Haverá outros procedimentos envolvidos, após a cirurgia para a conclusão ou avaliação do implante?
  • Quais os riscos envolvidos na inserção do implante (riscos cirúrgicos, de infecção e de falha do dispositivo)?

Quais os benefícios do implante do dispositivo? Como afeta a qualidade de vida.

Comentários

Solicite seu
Orçamento Online

Solicite um orçamento online dos produtos comercializados pela Barela de modo simples e prático. Preencha os campos ao lado e envie o seu pedido. Em breve, nossa equipe entrará em contato.

  • 20 anos de experiência de mercado.
  • As maiores operadoras e seguradoras nacionais.
  • 500 mil clientes entre empresas e pessoas físicas.
  • Sim Não