Você sabe o que faz um terapeuta ocupacional?

 em Para Você

Neste sábado (19/1) é celebrado, em todo o mundo, o Dia do Terapeuta Ocupacional. Mas, você sabe o que faz esse profissional da saúde?

O terapeuta ocupacional tem bastante relevância para os pacientes portadores de alterações cognitivas, afetivas, perceptivas e psicomotoras, decorrentes ou não de distúrbios genéticos, traumáticos ou de doenças adquiridas.

Com ações de prevenção, tratamento e reabilitação desses pacientes, o terapeuta ocupacional tem como objetivo ampliar o campo de ação, desempenho e participação de quem, geralmente, apresenta dificuldade de se integrar à vida social. Em outras palavras: promover a independência deste paciente.

Dica de leitura

E é graças ao trabalho feito pelo terapeuta ocupacional que cada vez mais pessoas, sejam elas crianças ou adultas, passam a notar o mundo de uma maneira mais positiva, adotando assim uma relação mais saudável com tudo o que o cerca.

A médica Ana Claudia Quintana Arantes, especialista em cuidados paliativos, traz em seu livro (“A morte é um dia que vale a pena viver”, de 2016) um pouco desta reflexão sobre como é possível – e importante – aproveitar ao máximo o que a vida nos oferece.

Onde encontrar?

A Terapia Ocupacional, hoje, é feita em clínicas, casas de repouso, hospitais e centros de reabilitação, entre outros locais – desde que, claro, seja guiada por um profissional devidamente registrado no Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional.

Quando devo procurar um terapeuta ocupacional?

Quando a depressão afasta a motivação.

Quando a memória “falha” com o envelhecimento e os lapsos momentâneos começam a ocorrer;

Quando o estresse funcional, dificulta o desempenho no trabalho;

Quando numa internação brincar, é talvez, a única forma de terapia e vínculo.

Quando a dor física ou um acidente inviabiliza os movimentos da mão;

Quando um AVC impede a pessoa de realizar uma “simples” tarefa como a de escovar os dentes e/ou de segurar um talher;

Quando uma pessoa portador de necessidades especiais, necessita ampliar seu cotidiano, participação e desempenho com domínio , como: trabalho, saúde, conhecimento, relações,etc.

Janeiro Branco: cuidados com a saúde mentalAedes Aegypti: meses de novembro a maio são os mais perigosos